Carta da FFA aos colaboradores e clientes

Carta da FFA aos colaboradores e clientes

Queridos colaboradores e clientes da FFA LEGAL,

Lamentamos profundamente o atual momento que estamos vivendo devido à pandemia do COVID-19. É um momento de elevado estresse e grande incerteza, mas também de união e solidariedade.

Nossa única arma, para resguardar a saúde de todos os que amamos e queremos bem, foi fechar a nossa sede física no último dia 20 de março, e desde então trabalharmos remotamente de nossas casas.

Esta decisão tomou algumas noites de nosso sono, na busca da estruturação da equipe, do funcionamento e viabilização do trabalho remoto para todos os setores, da análise do melhor momento de aplicá-la, na definição de algumas regras do jogo, entre outras providencias, mas hoje a vemos como a melhor decisão de nossas vidas.

A vida tem preço? Nossos princípios de respeito ao próximo, temor a Deus, e solidariedade, não permitiriam que tomássemos decisão diferente.

Não tínhamos e não temos dúvidas quanto ao engajamento do nosso time, escolhemos nos juntar aos melhores, mas sim, tínhamos dúvidas da aplicabilidade do trabalho remoto, e eventualmente assíncrono.

Existem dicas e regras de como trabalhar via Home Office, mas não há manual que diga como trabalhar nesse momento em especial, com incertezas e temores, além de todas as atividades de um lar e familiares, que demandam também da nossa atenção, ajuda e participação.

Mas não é que nossa primeira semana de trabalho fluiu de uma forma super incrível?

Foi uma semana de ajustes, de muito trabalho, de muitas reuniões remotas, de muitos desafios vencidos, de incansáveis demonstrações de comprometimento, e por tudo isso temos só a AGRADECER.

NOSSO MUITO OBRIGADO A CADA UM DO NOSSO TIME, que se desdobrou entre família e trabalho, para conseguir atender às demandas e compromissos do nosso escritório. 

OBRIGADO TAMBÉM A CADA UM DE VOCÊS, CLIENTES, que compreenderam e apoiaram essa nova forma de trabalhar.

O nosso desafio agora é o retorno. Como e quando fazê-lo? Ainda precisamos entender melhor, mas com certeza, nossa decisão será baseada nos mesmos princípios pelos quais decidimos pelo trabalho remoto, tendo como foco a saúde e segurança de todos nós.

Sairemos dessa fase muito mais fortes e unidos, entendendo o quanto precisamos uns dos outros, entendendo que o que estamos vivendo hoje refletirá como um divisor de águas nas relações humanas e nos ambientes de trabalho, e entendendo ainda, que está sendo o início (forçado) de uma jornada de evolução que não tem mais volta.

Fiquem em casa e fiquem bem.

Forte abraço!

At.,
Luis Azevedo e Soraya Ferraz

Assine nossa newsletter